domingo, 8 de abril de 2012

A Vitória Na Cruz


Shalom,
Quero começar declarando sobre a sua vida um novo tempo: de paz, cura, bem aventurança, vitórias em todos os desafios que se levantam e principalmente na tua alma, campo de todas as batalhas. Que esse novo tempo seja marcado por uma verdadeira metanóia, para que você entenda, perceba, receba e viva a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.
Ontem tivemos a sexta-feira da paixão e lembro quando era criança, que aprendi na catequese, que era um período de tristeza, não podia comer carne, não podia rir e fazer muitas coisas, porque estaria fazendo com Jesus. Era um período em que tínhamos a obrigação de ficarmos tristes, chorarmos, afinal Jesus havia morrido.
Uma vez ouvi um grande líder falando que o diabo é muito astuto para fazer parecer maior do que é, os seus pobres feitos. É como um jogo de futebol transmitido pela TV. Quando o time de Deus marca o gol, ele dá um jeitinho para a transmissão falhar, para que não se veja a grandiosidade do lance, da tacada. Mas quando é um penaltizinho do time do inferno ele dá um jeito de caprichar na transmissão.
No mundo real isso também acontece e as vitórias, os grandes lances de nossas vidas, muitas vezes são ofuscados pelas tacadas do diabo, conseguidas com trapaças, então nos deixamos levar pelas circunstâncias. Deixamos de olhar para o Alto, para as Promessas do nosso Amado Deus.
Hoje na semana santa a situação não é diferente. Assistimos a dor, o sofrimento de Jesus como um espetáculo, exatamente como o diabo gosta, previsto pela Palavra de Deus em Isaias 53:3-4: “Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores..... e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado. E não fazemos dele caso algum”.
Jesus se fez maldito. Morrer na cruz era a pena mais alta, para o pior crime, porque na cruz morria-se aos poucos, era a pior pena, destinada aos malditos e Jesus se passou por um maldito por nós (Gl.3:13).
Add caption
Aos olhos humano, Ele foi humilhado, desprezado e derrotado, mas na realidade Ele estava vencendo uma batalha por mim e por você. Naquele exato momento, Ele estava riscando toda a cédula, nota promissória que era contra nós, nos redimindo de todo o castigo, de todo o pecado e até da morte (Cl 2:14).
Jesus estava pagando o preço, tirando de nós o fardo, o peso do pecado, pelo qual entra a morte e a enfermidade, tirando as maldiçoes, sejam voluntárias ou hereditárias, nos redimindo de nossas culpas, nos resgatando através de seu sangue (I Pe 1: 18-19), vencendo, destronando, aniquilando principados e potestades (Cl 2:15).
Jesus venceu! É tempo de festa, de alegria, de decretarmos em nossas vidas tudo aquilo que Jesus conquistou na cruz. Somos mais do que vencedores. Precisamos entender isso e receber. Jesus venceu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário