segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Feliz natal Nicodemos,





Certa noite, o mestre Jesus recebeu uma visita ilustre, o Sr. Nicodemos, uma pessoa influente, chefe do Sinédrio – Tribunal religioso dos judeus, constituído por Professores da Lei, Sumos Sacerdotes.

Nicodemos ouvira muitos relatos a respeito de um certo Rabi, chamado Jesus, soube dos milagres e maravilhas que havia realizado, soube que, com palavras simples ensinava o povo, que com autoridade expulsava demônios e que chegou até a curar um cego de nascença. Eram tantos relatos – tinha que conhecer esse homem, afinal, só deveria ser da parte de Deus, para realizar tantos sinais. 

Como era um estudioso, aberto ao conhecimento, Nicodemos, precisava conhecer esse homem, conversar com ele, saber realmente quem ele era. Então, numa noite, tomou coragem e foi conhecê-lo. 

Nicodemos estava ansioso por esse encontro, algo em seu coração queimava, e ao se encontrar com Jesus, reconhecendo nele autoridade, humildemente começou a conversa: “Rabi, sabemos que és mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele” (Jo.3:2).

Para sua surpresa, Jesus de uma maneira muito simples o respondeu: “Em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus” (Jo.3:3).

Nicodemos ficou surpreso, tinha se ariscado para estar com aquele homem, pois muitos judeus não o viam, com bons olhos. Estava ali para saber mais a respeito dele e quem sabe ajudá-lo a resolver o mal entendido que estava causando entre os principais das sinagogas, no entanto recebia uma resposta que não fazia nenhum sentido - afinal na lei de Moisés não falava nada a respeito disso – nascer de novo?.  

A única coisa que conseguiu responder foi: “Como pode alguém nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe! ” (Jo. 3: 4). 

Nicodemos pensava em um nascimento físico, mas Jesus falava de algo espiritual: “ O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo” (Jo. 3: 6-7).

Jesus falava àquele Mestre da Lei - profundo conhecedor da Lei Mosaica e dos costumes judaicos: Esquece tudo o que você sabe, Nicodemos. Deleta, tudo; deleta a religiosidade, os vícios revestidos de costumes, os julgamentos... começa do zero, tem que nascer de novo!
Você é nascido da carne Nicodemos e conhece muito, mas todo esse conhecimento é limitado, o que você busca, de forma tão sedenta e que Eu quero te revelar, você só entenderá se nascer do Espírito.

Nicodemos, diante daquele Rabi, conhecido como Jesus o Nazareno, se sentiu como um menino e só conseguiu perguntar, mesmo se achando um tolo: “ Como pode suceder isto?”( Jo.3:9). 

“E Jesus respondeu: Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?” (Jo.3:10). Não, Nicodemos nunca tinha parado para pensar nisso, era sedento por conhecimento, estava sempre aberto, mas tinha que reconhecer que isso era novo.

Enquanto ouvia aquele homem, com semblante tão sereno, falando de coisas espirituais, começou a entender que tinha muito a aprender. Deus conhecia seu coração e era testemunha do esmero que tinha com sua Lei, Desde menino, sempre foi cumpridor, não faltava no templo, era caridoso e isso era reconhecido por todos.

Mas falando com aquele Rabi, tão sábio, era como se ele estivesse olhando para o mais profundo de sua alma e começou a entender o significado de nascer de novo.

Aquelas palavras: “O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é espírito!”...; “importa-vos nascer de novo!”,se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus! ”, ecoavam em sua mente, fazendo uma revolução, pois apesar de sua simplicidade, lhe impactaram de tal forma que foi inevitável fazer uma retrospectiva de sua vida, aparentemente tão boa e correta.

Enquanto revisava sua vida, mais perplexo ficava, diante de suas fraquezas, de suas limitações, olhava para os outros ao seu redor, do esforço que fazia para permanecer como chefe do Sinédrio, lutando contra as perseguições daqueles que eram movidos por ambições e competições. Nicodemos, queria apenas fazer a sua parte, sempre se esforçando para não fazer parte daquilo, mas muitas vezes se via sozinho, era mal interpretado – queria apenas as coisas funcionando do jeito certo, como acreditava ser da vontade de Deus.

As Palavras daquele Mestre, chamado Jesus, entraram em seu coração de forma tão profunda e impactante, que tinha certeza que depois daquele encontro, sua vida nunca mais seria a mesma.

Estava disposto sim, a experimentar uma nova vida, deixar as coisas velhas para trás e não só toda a sua bagagem de conhecimento humano e daquele sistema tão arcaico e desumano, que promove mais a distância do que a proximidade dos homens com Deus. E não só isso, estava disposto a deixar também, todos aqueles sentimentos que corroíam suas emoções: as decepções, as mágoas, os julgamentos, as rejeições. Não podia perder nem mais um minuto, não mais, se deixaria levar, por coisas tão pequenas. 

Nicodemos, aos poucos, se dava conta do tempo que havia perdido e que precisava urgentemente resgatar, precisava experimentar o que aquele amável Mestre, lhe havia ensinado: IMPORTA-VOS  NASCER DE NOVO!


Natal: (substantivo) dia de nascimento (geralmente com inicial minúscula),