segunda-feira, 11 de julho de 2016

Dia 11/07/2016
 “A proporção que adentramos no coração de Deus é medida pela mesma proporção que Ele adentra com sua presença, em nosso coração”( não lembro o autor).
É isso mesmo! O engraçado é que queremos o tudo de Deus, sem darmos o tudo de nós mesmos. No entanto reciprocidade é fundamental para um relacionamento intimo com o Senhor. 


A intimidade passa pelo temor ao nosso Pai. Segundo o dicionário temor significa sentimento respeitoso, zelo, escrúpulo, pontualidade. Também encontrei no conceito as palavras medo e receio, mas relacionadas com o sentimento respeitoso. Entendo que no temor, o nível de sentimento respeitoso é o de amar a tal ponto que não quero entristecer, que não deixo de honrar, simplesmente pelo receio e medo de deixar triste - Honrar, adorar ao Pai, acima de qualquer coisa. Quem teme nessa dimensão vive a promessa. E são muitas as promessas para os que O temem.
Davi salmodia: “Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher” (Salmo 25:12).

O temor ao Senhor, ao nosso Pai, nos leva a novos níveis de intimidade. Deus está conosco, nos ama e já fez tudo por nós, para que fossemos livres para se relacionar com Ele. O nosso relacionamento com o Pai, não pode apenas ser de um “oi!” ou “Estou aqui, olha para mim, não esqueça de me abençoar!”.

O mundo nos enche de distrações, desde entretenimentos até aos problemas do cotidiano, que roubam o nosso tempo, nos tiram do foco. O nosso foco tem que estar no Pai.
“Colocai em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça e todas as outras coisas vos serão acrescentadas”( Mateus 6:36).
Que desafio! É mais fácil falar do que viver essa palavra. Mas foi exatamente para isso que o nosso pai nos chamou – colocá-lo em primeiro lugar!

O ser humano é incrível. Imagine um homem dirigindo um automóvel: consegue manobrar o veículo ao mesmo tempo em que olha o retrovisor, muda a marcha, observa a sinalização, conversa com o passageiro - se tiver. E ainda se estressa com os outros motoristas.
 A mulher, se não trabalhar fora, como doméstica: cuida da casa, dos filhos, da roupa do marido, alimentação, compras, é capaz de fazer dezenas de coisas, ao mesmo tempo e algumas ainda encontram tempo para se preocupar com a vida alheia.

Mas em todas essas múltiplas tarefas executadas, quase ao mesmo tempo, nem sempre há espaço para Deus. Se é possível fazer inúmeras coisas ao mesmo tempo, se temos essa capacidade – dada por Deus – podemos perfeitamente realizar as coisas do dia a dia, sem deixarmos de nos conectar com o Pai, andando com Ele.

Mas como eu disse, não é fácil, mas é possível. Exige disciplina, persistência, perseverança. É por isso que o temor é importante, porque nos impulsiona, nos convence de que não somos nada e precisamos do Senhor. Quando Jesus, subiu aos céus, disse que enviaria a nós o consolador, o Espírito Santo, que nos ensinaria tudo o que precisamos aprender para nos relacionar com o Pai. Ele nos convence do pecado, do juízo e da justiça. O Espírito Santo nos ajuda a enxergar o quanto precisamos do Pai, o quanto somos dependentes e que somente nEle, somos mais que vencedores.

O diabo ande ao derredor, procurando uma brecha e  nada no mundo, vai me proporcionar um relacionamento com Pai, pelo contrário, virão várias distrações, tentativas de impedir de me relacionar e caminhar com Ele. Portanto tem que ser uma decisão pessoal - decisão!

O Pai procura verdadeiros adoradores e não importa o tempo de conversão ou o título ou cargo que ocupamos, Deus quer se relacionar com um coração sincero. Não importa as nossas limitações, mas a disposição do nosso coração de reconhecer que precisamos andar com o Pai.

“Pedi, e vos será concedido; buscai, e encontrareis; batei, e a porta será aberta para vós. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, se lhe abrirá” (Mateus 7:7-8),(K.J).


terça-feira, 8 de março de 2016

Ponto de vista: Missão Mulher.

Edificar, talvez seja o verbo, mais contundente com relação ao papel da mulher. Edificar significa erguer, levantar, construir algo, fundar, alicerçar, assentar, criar, etc. É missão árdua e desbravadora, que exige um contínuo romper de estruturas.

Ser mulher é um desafio diário. Fomos chamadas para edificar, mas não se edifica nada sem sabedoria. E sabedoria, só vem de um lugar: de Deus. No banco da escola, na faculdade, você vai aprender preciosas lições, desenvolver a tua inteligência; as tuas experiências de vida, também, são valiosas, mas só a sabedoria, nos capacita e habilita a construir e desempenhar o nosso papel de maneira segura e sólida. Essa sabedoria, tem uma fonte especial. Ela não está num diploma, num cargo, num título, numa experiência, mas na presença de Deus. Somente Ele pode nos dá a verdadeira sabedoria, “que é pura, pacífica, moderada, cheia de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia” (Tg.3:17). É essa sabedoria que nos dá suporte para edificar a nossa casa, os nossos sonhos e principalmente a estar em linha com aquilo que Deus deseja de nós.

Gosto muito da passagem de Jeremias 29:11, que diz: ”eu é que sei que pensamento, eu tenho de vós, diz o senhor, para vos dar o fim que desejais”. Em Romanos, 12,2, o apóstolo Paulo nos exorta: “E não vos amoldeis ao sistema deste mundo, mas sede transformada pela renovação das vossas mentes, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Quando Deus olha para cada uma de nós, quando nos chamou para sermos sábias para edificar, Ele já tinha algo muito bom, perfeito e agradável para nós. E não podemos esquecer isso, temos que buscar e fazer acontecer isso na nossa vida.

Muitas vezes os nossos conceitos andam na contramão dos princípios do Reino de Deus, por exemplo, estamos acostumados a ver a humilhação (ato de humilhar ou humilhar-se/ mostrar humildade, submeter-se), como sinônimo de ruína e desprezo. O diabo inculcou no mundo o entendimento de que ser humilde é ter cara de pobre, miserável, coitadinho e esquecemos que Jesus ensina que a humildade é requisito para a honra (Pv.25:27 b).

Acredito que, quem mais sente na pele essa deturpação de valores é a mulher. A Palavra de Deus nos ensina, que somos auxiliadoras, mas o entendimento que esse sistema atual nos apresenta é que ser auxiliadora é ser capacho e estrado. E por isso muitas mulheres vêem a submissão, como algo tenebroso, deixam de ser parceiras para serem competidoras, para provar que são melhores que os homens. É claro que não podemos deixar de observar que muitos homens, por medo dessa parceria, tentam apagar qualquer ameaça à sua “autoridade” e posição. Ora, Deus criou o homem e incumbiu a este de ser o cabeça, mas deu à mulher a missão de edificar.

Conversei com algumas mulheres, fortes e o que observo é que aquelas que acabam desempenhando a função de autoridade, o fazem porque existe um hiato, está em aberto e alguém tem que cumprir esse papel dentro da família. Se o homem cumprir o seu papel, não tem como a mulher tomar o seu lugar e tudo se encaixa.

A questão é que vivemos nos moldes do sistema desse mundo. Corremos pra Deus, quando o bicho pega, mas não seria mais fácil, viver a cultura do Reino de Deus?
Se não duvidamos que a vontade de Deus seja boa, perfeita e agradável para nós, porque não nós damos a oportunidade de viver essa cultura? Onde cada um desempenha o seu papel: o homem, como o cabeça, mas a mulher como auxiliadora - que está ao lado, que é parceira, que caminha na mesma missão.

Não é fácil ser mulher, desbravar, construir, mas tudo tem um início, um primeiro passo e se os desafios são muitos, não são poucos, os exemplos de mulheres, que cumpriram seu papel e romperam, venceram para que eu e você estivéssemos aqui. Somos responsáveis para edificar e muitas vezes é necessário demolir para construir o novo. Somos responsáveis para edificar o novo, uma nova geração, seja dentro de casa - educando os filhos, ou no trabalho, em qualquer lugar, fomos chamadas para fazer a diferença sendo mulher, não na força do nosso braço, mas com temor a Deus, quem nos fortalece e nos capacita. Feliz Missão Mulher!

domingo, 22 de fevereiro de 2015

FÉ, BASTA UMA PALAVRA.



Fé é caminhar pelo que não vemos, como se já existisse. O livro de Hebreu, fala que a fé é a CERTEZA das coisas que se esperam, a CONVICÇÃO de fatos que se não vêem (Hb.11:1). CERTEZA, CONVICÇÃO!

“Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb.11:6, a) e a palavra continua: “... é necessário que aquele que se aproxima de Deus, creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hb.11:6).

No Evangelho de Mateus 8:5-13, o centurião foi exemplo de fé e Jesus admirou-se dele. Aquele homem, um centurião romano, implorou a Jesus a cura de seu criado. Ele sabia que Jesus era a resposta. Jesus, ao ser abordado por aquele homem, prontamente respondeu: “EU IREI CURÁ-LO”. Mas, para aquele centurião, bastava apenas uma palavra – UMA PALAVRA.

Não é difícil imaginar porque Jesus se admirou de tamanha fé. Jesus estava acostumado a andar acompanhado de uma grande multidão, que o seguiam, em busca de sinais, mas precisavam ver para crer, precisavam ser tocados.

Hoje não é diferente. Para muitos, não basta a Palavra de Jesus. Não bastam as promessas elencadas na Nova Aliança, não basta Jesus já ter morrido na cruz e ressuscitado. Muitos procuram por vasos, procuram por profecias, estão desesperados por sinais, focam nas suas necessidades e esquecem do mais simples, agradar a Deus, ter fé. Procuram os milagres, mas esquecem de buscar intimidade com o Deus dos milagres.

Jesus, depois da ocasião da última ceia com seus discípulos, onde anuncia a Nova Aliança, (Lucas, 22:20), derrama Seu sangue por nós, na cruz do calvário, declara: “ESTÁ CONSUMADO!” 

Eu poderia parar por aqui, mas faço questão de lembrar algumas coisas que JESUS JÁ FEZ POR NÓSNos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do filho do seu amor; Nos deu a redenção, a remição dos pecados; Nos reconciliou no corpo da sua carne, mediante a sua morte, para nós apresentar perante a si, SANTOS, INCULPÁVEIS e IRREPREENSÍVEIS, se é que permanecemos na fé, alicerçados e firmes (Colossenses 1: 13,14,22); Levou sobre si as nossas dores, as nossas enfermidades, todo o castigo que estava sobre nós.

O apóstolo Paulo, no livro de Efésios é mais profundo: “Deus sendo rico em misericórdia, por causa do seu grande amor com que nos amou... nos deus VIDA juntamente com CRISTO.... E JUNTAMENTE COM ELE, NOS RESSUSCITOU E NOS FEZ ASSENTAR NOS LUGARES CELESTIAIS EM CRISTO JESUS” ( Ef. 2:4-6).

Aquele centurião, não conhecia a Nova Aliança, àquela altura, Jesus estava no início de seu ministério, não havia sido crucificado, não havia os Evangelhos, como nós temos hoje, mas aquele homem não duvidou no seu coração e sabia quem era Jesus e essa convicção o fez declarar: BASTA UMA PALAVRA!

É essa convicção que devemos buscar. A dúvida ofende a Deus e nos impede de receber tudo que o Senhor já reservou para nós (Efésios 1:3). As benção do Senhor é para usufruirmos agora e não quando morrermos, pois é através de nossas vidas que o nosso Pai será glorificado - nós somos o sal da terra, luz e o mundo aguarda com expectativa essa manifestação. (Romanos 8:19)

Aquele que se aproxima de Deus, tem que crer que Ele existe, certo? E que Ele tem prazer em presentear aqueles que o buscam (Hb 11:6). Caso você tenha alguma dúvida disso, deixo a resposta que Jesus deu àquele centurião: “VÁ! COMO VOCÊ CREU, ASSIM LHE ACONTECERÁ!



    

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

JESUS, O VINHO NOVO (Mateus 9: 14-17)

Jesus, foi questionado a respeito do jejum, pelos discípulos de João - o batista, porque seus discípulos não jejuavam. 

É incrível como nada passava despercebido. Todos ficavam “de olho” em tudo que dizia respeito a Jesus e nem o fato de seus discípulos não jejuarem, ficou de fora.

Na época de Jesus, os fariseus jejuavam duas vezes na semana, salvo no período de bodas, cuja comemoração, muitas vezes, ocorria durante uma semana e os convidados eram dispensados do jejum no período de comemoração do casamento, porque o jejum era associado a tristeza (comentário,King James).

Jesus respondeu a esse questionamento, fazendo uma comparação com o casamento: “É possível que os amigos do noivo fiquem de luto enquanto o noivo ainda está com eles? Dias virão, quando o noivo lhes será tirado, então jejuarão”. Os discípulos de Jesus estavam em momento de comunhão, de relacionamento com Ele.

Jesus ressalta: “Ninguém coloca remendo novo em roupa velha; porque o remendo força o tecido da roupa velha, e o rasgo aumenta. Nem se põe vinho novo em odres velhos; se o fizer, os odres rebentarão, o vinho derramará e os odres se estragarão. Mas, põe-se vinho novo em odres novos e assim ambos ficaram conservados” (Jo 9:16-17).

Nos versículos anteriores, vimos Jesus declarando : “Misericórdia quero e não sacrifícios, pois não vim resgatar justos e sim pecadores” (Jo. 9:13b).

Não adianta se sacrificar externamente, para que todos vejam, se por dentro continua resistente a mudança, com o coração duro, com os mesmos pensamentos, com as mesmas estruturas de pensamento, sem misericórdia, sem amor para com o próximo.

Jesus veio, para que, todos aqueles, que estão como odres e panos velhos, sejam renovados, para receber a Nova Aliança de Deus, Jesus.

Jesus é o vinho novo em nossas vidas e precisamos estar abertos, como panos novos, como odres novos para receber o novo de Deus - isso é a essência de nascer de novo.

Essa oportunidade é dada a todos que estão dispostos a receber (Jo.1:12). E independente de sua condição, mas por causa do grande amor, com que nos amou ( Efésios 2: 4-5), Deus sempre nos chama, para fazer parte do Seu banquete: “Eis que estou à porta e bato, aquele que abrir, eu sairei com ele e ele comigo” ( Ap.3:20).

Para fazer parte desse banquete, basta se aproximar, se arrepender - reconhecer que é pecador, que existem áreas em sua vida, que precisam de mudanças, que precisam de consertos. Para esses, que tem um coração humilde, Deus planejou o melhor renovo: JESUS!


Os que têm um coração humilde, não se rasgarão como tecidos velhos, nem se arrebentarão como odres velhos, mas serão como filhos maduros, que tem resistência, flexibilidade, se esticam e não resistem ao Reino de Deus.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

O REINO DE DEUS E DEMAIS COISAS






Preocupação, estresse, ansiedades, são tão frequentes na atualidade, que algumas pessoas acham até normal. Mas não são - elas paralisam e nos tiram do foco, do alvo que deve ser Cristo e do nosso relacionamento com Deus.
Em Mateus 6:25-34, Jesus nos exorta a abandonar a preocupação. Jesus estava, falando de foco: “não permitam que as preocupações com suas vidas, com sua comida, com sua bebida, com o seu corpo, com a sua vestimenta sejam o FOCO de vocês”
“Busquem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhe serão acrescentadas”(Mt.6:33)
Isso não significa que a comida, a bebida, o bem estar, a vestimenta vão cair do céu. Não!
Em Matheus 6:27, Jesus declara: “quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?”.
Quando o buscamos e o colocamos em primeiro lugar, Ele mesmo nos sustenta. Como?! Mandando coisas materiais do céu? De pára-quedas? NÃO!!!
NOS DANDO SABEDORIA, PERCEPÇÃO, ESTRATÉGIAS E OPORTUNIDADES!
No entanto, as preocupações distraem de tal forma, que você não consegue ver.
Por conta dessa distração você não consegue ter percepção e ver a oportunidade que Deus está te dando para te abençoar.
Até o maná, que alimentava o povo de Israel no deserto, não caia dentro das tendas, caia no deserto e tinha que ser colhido diariamente, ou seja, usufruía do maná quem fosse colhê-lo.
Com certeza Deus já providenciou o teu maná, mas pode ser que você esteja deixando passar, não está  percebendo e por isso não colhe.
  Esse maná está atrás de uma oportunidade que Deus está te dando e que você não está conseguindo ver, porque o seu foco não está nEle. O teu foco está envolvido em distrações, camufladas de problemas do cotidiano.

Decida direcionar o teu foco para Aquele que Te ama, que enviou o seu Único Filho, Jesus para pagar um preço muito alto por nós: Jesus, o autor e consumador da nossa fé.
Decida acreditar, a colocar Deus em primeiro lugar na tua vida. Decida! Você verá que vale a pena.
.......................

 
DECISÃO
A Bíblia diz, “Se, com a tua boca, confessares ao senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo”. (Romanos 10:9)
Faça essa oração:
 “Senhor Jesus, eu confesso que sou um pecador. Eu reconheço que preciso de Seu amor e perdão. Entre no meu coração. Perdoe os meus pecados. Eu quero receber a Sua vida eterna. Enche-me da paz, felicidade e amor do Teu Reino. Amém!”



sábado, 19 de abril de 2014

AS BEM AVENTURANÇAS




Há algum tempos atrás, o Senhor tinha falado ao meu coração sobre as Bem-aventuranças e numa manhã de 28 de março, ao abrir a Bíblia, me deparei com Mt.5:1-2 – tenho que registrar.

Essa passagem sempre me intrigava, embora seja linda, achava estranho, não entendia muito bem, o fato de Jesus exaltar circunstâncias, como pobreza espiritual, choro, fome, injustiça  - detalhe, que no dia anterior, quando voltava para casa, .. pensava sobre "pobres de espírito" e o Senhor trouxe a resposta ao meu coração.

Jesus já estava conhecido, no seu ministério, e por isso era constantemente seguido por uma multidão. A multidão que seguia Jesus era formada por todo o tipo de pessoas, com todos os problemas que se possa imaginar: enfermos, famintos, perseguidos, marginalizados, endemoniados… Eram pessoas que precisavam de ajuda, incentivo, curas e milagres, porque não tinham mais esperança, não viam mais saída para seus problemas.

E Jesus olha para aquela multidão cheio de compaixão, olhando no interior de cada um, não para as circunstâncias em que estavam – creio que Deus nos olha assim, acreditando em nós, muito mais do que nós mesmos.

Fico imaginando aquela multidão… um povo que buscava, desesperadamente, uma resposta para a sua situação. E Jesus olhando nos olhos de cada um, conhecendo o que se passava em cada coração, proclama as Bem-aventuranças – não exaltando as circunstâncias, como se para alcançar as bençãos do Senhor precisamos ser: pobres de espírito, famintos, injustiçados, mas decretando sobre cada uma delas a saída. 

Assim, como em Gênesis, o Senhor disse: ¨haja luz e houve luz¨, Jesus estava proclamando as bem-aventuranças sobre cada homem e mulher naquela multidão.

Isso me faz lembrar de Rm 12:2 ¨E não vos conformeis com esse mundo, mas tranformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus¨.

É como se Jesus estivesse falando isso àquela multidão: ¨NÃO VOS CONFORMEIS… BEM AVENTURADOS...  Jesus estava  projetando o povo para a mudança, proclamando o REINO DE DEUS em suas vidas. O que hoje é pobre de espírito, se quiser, terá o Reino de Deus! Aquele que tem fome, será saciado… aquele que chora será consolado…

BEM-AVENTURANÇA é uma felicidade que excede às circunstâncias, que tem a ver com o profundo sentimento de paz e alegria - que todos os que foram abençoados com a Salvação em Cristos e Seu Reino - devem sentir e desfrutar, independente das aflições do cotidiano.(comentário,versão king James) 


As circunstâncias não podem governar as nossas vidas, elas passam, mas a Fidelidade do Senhor é eterna. NÃO VOS CONFORMEIS... , permita de JESUS reine em sua vida, para que possa experimentar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Se estiver passando por lutas, olhe para essas circunstâncias e declare a sua vitória, você não está sozinho, você tem um Pai, que te ama, que é fiel e o que JESUS ligou na Terra,  já foi ligado no céu (Mt.18:18)....  seremos consolados, herdaremos a terra, seremos saciados de justiça, encontraremos favor e misericórdia e experimentaremos da delícia de viver - através da Nova Aliança, o Reino de Deus.
FELIZ PÁSCOA!